TERÇA-FEIRA, 25 DE JANEIRO DE 2022

Últimas Notícias

FONTE: GLOBO.COM - RSS

Olavo de Carvalho morre aos 74 anos, dizem redes sociais do autor


O escritor e influenciador morreu na Virgínia, nos Estados Unidos. Olavo de Carvalho volta a atacar militares do governo Bolsonaro Reprodução/Globo O escritor e influenciador Olavo de Carvalho morreu aos 74 anos. A informação foi divulgada nas redes sociais do autor. De acordo com a nota divulgada pela família, o escritor morreu na noite de 24 de janeiro. A causa da morte não foi divulgada. Ainda segundo a nota, Olavo de Carvalho estava em um hospital de Richmond, no estado da Virgínia, nos Estados Unidos. Nascido em Campinas, no interior de São Paulo, Olavo Luiz Pimentel de Carvalho se intitulava professor de filosofia e ficou conhecido por vídeos e livros que apoiam o conservadorismo político e que recusam o discurso politicamente correto. Considerado um ex-guru do bolsonarismo, Olavo de Carvalho já foi elogiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas redes sociais, mas criticado por militares que integram seu governo. Carvalho deixa a esposa, Roxane, oito filhos e 18 netos. Problemas de saúde anteriores Em 8 de julho de 2021, Olavo deu entrada no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (InCor), em São Paulo, para fazer exames e uma avaliação cardiológica, segundo nota do hospital. Na época, o escritor já residia na cidade de Petersburg, no estado da Virgínia, nos Estados Unidos. No período em que ficou internado, Carvalho teve crise de angina e foi submetido a tratamento para compensação cardíaca. Em 13 de julho, passou por uma cirurgia de emergência para revisão da operação da bexiga realizada em maio do mesmo ano nos Estados Unidos. Ele teve alta após dez dias e passou a fazer um acompanhamento em casa. Em 9 de agosto, porém, voltou a ser hospitalizado no InCor, com quadro de insuficiência cardíaca e renal aguda e infecção sistêmica. Ele era portador da Doença de Lyme, uma infecção transmitida por carrapato que causa irritações na pele e sintomas semelhantes ao da gripe. Carvalho também era cardiopata.

Categoria: G1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 02:18:31 hr

O Assunto #629: A vez dos games nos grandes negócios


O recente movimento feito pela Microsoft chama a atenção primeiro pela cifra: quase US$ 69 bilhões (aproximadamente R$ 380 bilhões) para adquirir a Activision Blizzard. Vicente Martin Mastrocola detalha as implicações dessa compra, que levará a Microsoft ao terceiro lugar no ranking do setor, atrás apenas da chinesa Tencent e da japonesa Sony. Você pode ouvir O Assunto no g1, no GloboPlay, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music, no Hello You ou na sua plataforma de áudio preferida. Assine ou siga O Assunto, para ser avisado sempre que tiver novo episódio. O recente movimento feito pela Microsoft chama a atenção primeiro pela cifra: quase US$ 69 bilhões (aproximadamente R$ 380 bilhões) para adquirir a Activision Blizzard. Ela é responsável por franquias consolidadas no mundo dos jogos interativos (como Call of Duty, Candy Crush e WarCraft), mas a importância do acerto vai muito além: mostra o quão central, para as empresas de tecnologia, tornou-se um mercado que movimentou quase US$ 200 bilhões em 2021. Com quase 3 bilhões de usuários (mais de um terço da população do planeta), os games já superam em valor ramos tradicionais da indústria do entretenimento, como o cinematográfico. Neste episódio, Vicente Martin Mastrocola, professor de Sistemas de Informação da ESPM, detalha as implicações dessa compra, que levará a Microsoft ao terceiro lugar no ranking do setor, atrás apenas da chinesa Tencent e da japonesa Sony. "A Microsoft, proprietária do Windows e do Xbox, vai investir pesado na integração desses jogos dentro de sua plataforma", diz. ?O objetivo é conectar várias telas, como computador, consoles, tablets e smartphones, em um ecossistema só.? Na conversa com Renata Lo Prete, ele discute também o papel dos games na aposta da indústria no metaverso (integração de universos virtuais com o físico por meio de tecnologia imersiva). O que você precisa saber: Microsoft vai comprar Activision Blizzard por US$ 68,7 bilhões, maior aquisição do mercado de games Activision Blizzard e Microsoft: após compra recorde, conheça maiores aquisições da indústria de games Funcionários da Activision Blizzard fazem greve e protestam contra empresa após processo por assédio sexual Metaverso: o que é a economia do mundo paralelo e como ela pode ser explorada nos próximos anos O podcast O Assunto é produzido por: Mônica Mariotti, Isabel Seta, Arthur Stabile, Gabriel de Campos, Luiz Felipe Silva, Thiago Kaczuroski e Eto Osclighter. Neste episódio colaborou também: Gustavo Honório. Apresentação: Renata Lo Prete. Comunicação/Globo

Categoria: G1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 02:05:09 hr

Brasil piora duas posições em ranking de corrupção

Entre 180 países analisados, o Brasil ocupou a 96ª colocação no Índice de Percepção da Corrupção (IPC) no ano passado, segundo levantamento da Transparência Internacional. O Brasil piorou duas posições no ranking mundial da corrupção, segundo o levantamento realizado pela Transparência Internacional e divulgado na madrugada desta terça-feira (25). Entre 180 países analisados, o Brasil ocupou a 96ª colocação no Índice de Percepção da Corrupção (IPC) no ano passado. Em 2020, estava na 94ª posição. Quanto melhor a posição no ranking, menos o país é considerado corrupto. Numa escala de 0 a 100 pontos, o Brasil alcançou 38 pontos - a terceira pior nota da série histórica e a mesma pontuação alcançada na edição anterior. O desempenho brasileiro ficou abaixo da média global (43 pontos), dos países da América Latina e do Caribe (41 pontos) e das nações que integram o G20 (66 pontos). No relatório da Transparência Internacional, as maiores pontuações foram alcançadas por Dinamarca, Finlândia e Nova Zelândia (todos com 88 pontos). Na sequência, apareceram Noruega, Singapura e Suécia (85 pontos). Já as piores avaliações foram registradas por Venezuela (14 pontos), Somália e Síria (13 pontos) e Sudão do Sul (11 pontos). O que explica o desempenho do Brasil A Transparência Internacional afirma que o Brasil está "estagnado em um patamar muito ruim em relação à percepção da corrupção no setor público" e aponta que as ações do governo federal, do Congresso Nacional e do Judiciário "levaram a retrocessos no arcabouço legal e institucional anticorrupção do país". "O Brasil está passando por uma rápida deterioração do ambiente democrático e desmanche sem precedentes de sua capacidade de enfrentamento da corrupção", afirma Bruno Brandão, diretor executivo da Transparência Internacional - Brasil. "São marcos legais e institucionais que o país levou décadas para construir. Isso traz consequências ainda mais graves por ocorrer em meio à pandemia da Covid-19, quando a transparência e o controle dos recursos públicos deveriam ser priorizados para garantir seu bom uso frente à tragédia humanitária", acrescenta. A organização destacou que, nos últimos anos, vem denunciando o enfraquecimento do combate à corrupção, diante das falas antidemocráticas do presidente Jair Bolsonaro, por exemplo. A Transparência Internacional também tem destacado as investigações realizadas pela CPI da Covid e as relações criadas entre o governo federal e o Congresso por meio do chamado orçamento secreto. Bolsonaro ataca Alexandre de Moraes e diz que não cumprirá mais decisões do ministro Por fim, a entidade ainda aponta que a falha no combate à corrupção prejudica os direitos humanos nos países. No ano passado, 17 defensores de direitos humanos foram assinados no Brasil. "A corrupção é indutora de violações e ativa um ciclo vicioso no qual os direitos e liberdades são erodidos, a democracia perde fôlego e o autoritarismo ganha espaço", diz Nicole Verillo, gerente de Apoio e Incidência Anticorrupção da Transparência Internacional - Brasil. "Portanto, a luta contra a corrupção não é um mero detalhe quando se fala em direitos humanos. É uma luta imperativa para garantir direitos ", afirma. Metodologia Criado em 1995, o IPC passou por um revisão metodológica em 2012. O índice é composto por 13 pesquisas e avaliações de especialistas, produzidas por instituições reconhecidas internacionalmente. Para construir o índice, a Transparência Internacional analisa os resultados de perguntas destas pesquisas, que tratam da percepção de corrupção no setor público.

Categoria: G1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 02:01:35 hr

Pacientes denunciam demora, falta de profissionais e lotação no hospital do IPSEMG em BH


Idosos reclamam de longa espera no pronto-socorro do hospital e denunciam falta de profissionais. Pacientes aguardavam em pé nos corredores da emergência do hospital do Ipsemg Reprodução/TV Globo Quem passava pela portaria do Hospital do Ipsemg, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, já conseguia perceber a lotação. As cadeiras do pronto-socorro todas ocupadas podem dar a dimensão da demora pelo atendimento no local. Quem denuncia a situação são os próprios pacientes, durante a tarde desta segunda-feira (24). A aposentada Joicy Barreiros levou a mãe, de 61 anos, na emergência. A suspeita era de pneumonia. ?Tinha 16 pessoas na minha frente. Ela [a funcionária do hospital] disse que as pessoas são mais velhas que minha mãe, mas são mais novas. Um absurdo. Um atendimento péssimo?, reclamou. Além da lotação e demora, as principais queixas são por falta de profissionais para atendimento e pela não realização de testes de detecção da Covid-19. Pacientes foram ao local, que é referência para os beneficiários da previdência de Minas Gerais. Esperaram sete horas e saíram sem fazer o exame. Ao lado da unidade dedicada aos sintomas respiratórios, o hospital atendia pacientes com outros casos de urgência. A superlotação também foi evidente. A denúncia das pessoas que buscaram por atendimento é de que havia paciente aguardando nos corredores e até do lado de fora. A reportagem procurou a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), que faz a gestão da unidade e, até o momento, não obteve retorno. Os vídeos mais vistos do g1 Minas nos últimos dias:

Categoria: G1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 01:38:01 hr

Carreata reúne depoimentos emocionados de parentes das vítimas atingidas pela lama de barragem em Brumadinho


Associação pede responsabilização e celeridade à Justiça; parentes querem que tragédia seja julgada em Minas Gerais. Parentes de vítimas fizeram carreata clamando por Justiça em Brumadinho Redes Sociais ?É com o coração partido, é com o coração sangrando, mas nós vamos continuar caminhando e lutando por eles, vozes que foram caladas?. Com esse discurso, parentes das vítimas atingidas pela lama da barragem da Vale, em 2019, conduziram uma carreata pelas ruas de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na noite desta segunda-feira (24). O movimento pretende manter viva a memória da tragédia que provocou a morte de 270 pessoas, das quais 264 foram identificadas. Nesta terça-feira (25), o rompimento da barragem completa três anos. Carreata contou com mobilização de parentes e moradores da cidade Moradores da cidade acompanharam o protesto. Parte das mensagens também foi direcionada a eles. ?Nós estamos aqui para dizer que não aceitamos que esse crime caia no esquecimento. Nós estamos aqui para que esse crime não se repita. Para que você e seus familiares fiquem em segurança?. Responsabilidade A associação que representa as famílias (Avabrum) dos atingidos busca por Justiça e pede a responsabilização pela tragédia. Eles relembraram o rompimento da Samarco, que tem a Vale e a BHP Billiton como acionistas, que dizimou o distrito de Fundão, em Mariana, em 2015. ?A Vale demorou menos de um minuto para matar as joias. Até o presente momento, nenhuma responsabilização. Nenhum criminoso na cadeia. Mariana, matou 20?, disseram em protesto. Em um discurso emocionado, os representantes também se disseram contra a federalização do processo que analisa o rompimento em Brumadinho. Eles pedem celeridade ao caso, com julgamento em Minas Gerais. ?Há 1.094 dias fomos fazer nosso clamor para que a Justiça Mineira julgue o crime. Não é possível, 270 vidas mortas e mineiradas pela Vale ter um processo julgado em Brasília, ser federalizado. Foi aqui. É aqui que os corpos das joias estão. É nesse solo assolado pela lama de sangue da Vale, que matou à canetada fria e com requintes de crueldade as joias?. Motoristas seguiram em protesto pelas ruas de Brumadinho, na Grande BH A reportagem entrou em contato com a Vale por volta das 23h50 desta segunda-feira e aguarda retorno com o posicionamento da mineradora. O g1 também entrou em contato com o Supremo Tribunal Federal (STF) para atualizar a situação do processo que pode definir, em decisão colegiada, se o julgamento será federalizado. A reportagem também pediu esclarecimentos sobre a atuação do Ministério Público Estadual (MPMG), o Ministério Público Federal (MPF) e ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) sobre a articulação de cada uma dessas entidades e aguarda retorno. Os vídeos mais vistos do g1 Minas nos últimos dias:

Categoria: G1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 00:14:19 hr

Mega-Sena pode pagar R$ 28,5 milhões nesta terça-feira


Apostas podem ser feitas até as 19h em lotéricas ou pela internet. Valor da aposta mínima é de R$ 4,50. Aposta única da Mega-Sena custa R$ 4,50 e apostas podem ser feitas até as 19h Marcelo Brandt/G1 O concurso 2.447 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 28,5 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h desta terça-feira (25) no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. A aposta mínima custa R$ 4,50 e pode ser realizada também pela internet até 19h - saiba como fazer. VÍDEO: veja como funcionam as apostas da Mega-Sena Para apostar na Mega-Sena As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal ? acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito. Probabilidades A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 4,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa. Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa. VÍDEOS: os vídeos mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias

Categoria: G1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 00:01:41 hr

INSS começa a pagar aposentadorias com reajuste nesta terça-feira


Para aqueles que recebem um salário mínimo, os depósitos referentes a janeiro serão feitos entre os dias 25 de janeiro e 7 de fevereiro. Segurados com renda mensal acima do piso nacional terão seus pagamentos creditados a partir de 1 de fevereiro. O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começa a pagar nesta terça-feira (25) os benefícios com reajustes para aposentados e pensionistas. O calendário será seguido de acordo com o número do benefício do segurado. Para aqueles que recebem um salário mínimo, os depósitos referentes a janeiro serão feitos entre os dias 25 de janeiro e 7 de fevereiro. Segurados com renda mensal acima do piso nacional terão seus pagamentos creditados a partir de 1 de fevereiro. Veja abaixo o calendário: calendário de pagamento de benefícios em 2022 Divulgação Atualmente, são mais de 36 milhões de pessoas com direitos a benefícios do INSS no país. Os aposentados e pensionistas que recebem benefícios acima do salário mínimo terão reajuste de 10,16% na remuneração - o teto dos benefícios do INSS passa de R$ 6.433,57 a R$ 7.087,22. Benefícios do INSS têm reajuste de 10,16% e teto sobe para R$ 7.087 Já para quem ganha o benefício no valor do salário mínimo, o piso nacional passou para R$ 1.212 desde 1º de janeiro. Por lei, aposentadorias, auxílio-doença, auxílio-reclusão e pensão por morte pagas pelo INSS não podem ser inferiores a 1 salário mínimo. Veja abaixo como ficam os valores reajustados de acordo com o novo salário mínimo e INPC ? valores referentes a mais de um salário mínimo englobam quem já estava recebendo os pagamentos em 1º de janeiro de 2021. Reajuste dos benefícios do INSS Economia g1 Reajuste para quem começou a receber em 2021 Os segurados que começaram a receber a partir de fevereiro de 2021 terão percentual menor de reajuste porque não receberam 12 meses cheios de pagamentos. Assim, o percentual de reajuste fica menor quanto mais recente for a data de início do benefício. Veja abaixo: Beneficiários que começaram a receber em 2021 Economia g1 Comparativo dos reajustes Com o reajuste de 10,16% para beneficiários do INSS que recebem valores acima de um salário mínimo, o aumento será pouco menor que o do salário mínimo, que teve alta de 10,18%, ou de R$ 112 em relação ao valor vigente (R$ 1.100) no ano passado, mas incorporou quase R$ 2 como compensação pelo reajuste do salário mínimo abaixo da inflação em 2021. Em 2021, o reajuste foi de 5,45% para beneficiários do INSS que recebem acima de 1 salário mínimo. Já para quem ganhava 1 salário mínimo, o percentual foi de 5,26%. Alíquotas de contribuição ao INSS O reajuste também se reflete na cobrança da contribuição dos trabalhadores para o INSS. Para empregados com carteira assinada, domésticos e trabalhadores avulsos, a tabela de recolhimento passa a ser: 7,5% para até um salário mínimo (R$ 1.212) 9% para quem ganha entre R$ 1.212,01 e R$ 2.427,35 12% para quem ganha entre R$ 2.427,36 e R$ 3.641,03 14% para quem ganha entre R$ 3.641,04 e R$ 7.087,22 Esses novos valores deverão ser recolhidos apenas em fevereiro, pois são relativos aos salários de janeiro. Os recolhimentos relativos aos salários de dezembro de 2021 e efetuados em janeiro deste ano ainda seguem a tabela anterior. Vale lembrar que, com a reforma da Previdência de 2019, essas taxas passaram a ser progressivas, ou seja, cobradas apenas sobre a parcela do salário que se enquadrar em cada faixa, o que faz com que o percentual de fato descontado do total dos ganhos (a alíquota efetiva) seja menor. Ou seja, se o trabalhador ganha mais de um salário mínimo, ele paga 7,5% de alíquota de contribuição sobre R$ 1.212 e outros percentuais no que exceder esse valor, de acordo com a tabela abaixo: Novos valores de contribuição ao INSS Juan Silva/G1 Por exemplo: um trabalhador que ganha R$ 1.500 pagará 7,5% sobre R$ 1.212 (R$ 90,90), mais 9% sobre os R$ 288 que excedem esse valor (R$ 25,90), totalizando R$ 116,80 de contribuição. Quem ganha R$ 2.000 pagará 7,5% sobre R$ 1.212 (R$ 90,90), mais 9% sobre R$ 788 (R$ 70,92), totalizando R$ 161,82. Já quem ganha R$ 4.500 terá a seguinte contribuição, seguindo as faixas de valores da tabela acima: Paga 7,5% sobre R$ 1.212: R$ 90,90 de contribuição Mais 9% sobre R$ 1.215,35, que é a diferença de R$ 2.427,35 de R$ 1.212: R$ 109,38 Mais 12% sobre R$ 1.213,68, que é a diferença de R$ 3.641,03 de R$ 2.427,35: R$ 145,64 Mais 14% sobre R$ 858,97, que é a diferença de R$ 4.500,00 de R$ 3.641,03: R$ 120,26 Total de contribuição: R$ 466,18

Categoria: G1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 00:01:39 hr

VÍDEOS: JL2 de segunda-feira, 24 de janeiro de 2022


Confira o telejornal. Confira o telejornal.

Categoria: g1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 23:15:17 hr

EUA e outros países ocidentais começam a retirar da Ucrânia funcionários de embaixadas

Há o temor de ação militar da Rússia. A Ucrânia chamou a retirada de cautela prematura e excessiva. Já o Kremlin declarou que o aumento da tensão se deve à ?histeria do Ocidente?. Países ocidentais começam a retirar funcionários de embaixadas na Ucrânia Governos de países ocidentais começaram a retirar da Ucrânia alguns funcionários de embaixadas, por causa do risco de uma ação militar da Rússia. O Reino Unido também não quis blefar. Funcionários britânicos e suas famílias já começaram a deixar Kiev (capital da Ucrânia). O governo britânico não viu um risco específico à sua diplomacia, mas falou numa ?crescente ameaça da Rússia?. O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, recebeu informações de um risco ?sombrio? de conflito na Ucrânia, mas disse que ainda não é inevitável. Boris Johnson deixou claro que uma invasão russa seria um ?passo desastroso?. Os Estados Unidos já tinham puxado a fila no domingo (23) quando autorizaram a volta de diplomatas em Kiev. O governo americano explicou que era uma precaução abundante, mas avisou que uma invasão russa pode acontecer ?a qualquer momento?. A Ucrânia chamou a retirada de cautela prematura e excessiva. O porta-voz do governo argumentou que a ameaça russa é a mesma desde 2014 e que o acúmulo de tropas russas na fronteira começou em abril do ano passado. O chefe da diplomacia da União Europeia não piscou: Josep Borrell manteve o seu pessoal em Kiev. Ele avisou que não "dramatizaria" as tensões, porque as negociações estão acontecendo. Representantes da Rússia, Ucrânia, França e Alemanha articulam um encontro na quarta-feira (26) em Paris. O governo ucraniano agradeceu à União Europeia pelo apoio moral e financeiro também. A presidente da Comissão Europeia anunciou um empréstimo de 1,2 bilhão de euros para diminuir o impacto de um conflito com a Rússia. Os ministros do Exterior do bloco se encontraram para mandar um alerta unificado ao governo russo. O secretário americano de Estado participou virtualmente da reunião. O chefe da diplomacia dinamarquesa promete costurar sanções "jamais vistas" em caso de agressão. A Aliança Militar do Ocidente (Otan) reforçou o leste europeu com mais navios e caças, e já estuda aumentar o contingente na região. O Kremlin declarou que o avanço das forças da Otan para o leste não tem nada a ver com os exercícios militares russos; que são informações amarradas em mentiras. A versão da Rússia é que o problema não são os mais de 100 mil militares russos espalhados pela fronteira com a Ucrânia. Segundo o porta-voz do Kremlin o que aumenta a tensão na verdade é a ?histeria do Ocidente?.

Categoria: G1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 23:11:29 hr

Média móvel de mortes por Covid ultrapassa 300 por dia pela 1ª vez desde outubro

Em 24 horas, o país registrou 267 mortes. Desde o início da pandemia, já são 623.412 vítimas. A média de mortes está em alta de 152%. São 307 mortes por dia. Média móvel de mortes por Covid ultrapassa 300 por dia pela 1ª vez desde outubro O Brasil completou uma semana com recordes na média diária de novos casos conhecidos de Covid, de acordo com os números do consórcio de veículos de imprensa. Na terça-feira passada (18), a média estava em 83 mil casos por dia. Agora, passou de 150 mil. Em relação à média de duas semanas atrás, o aumento é de 241%. Em 24 horas, foram 90.509 novos casos conhecidos. O total passa de 24,1 milhões. Em 24 horas, o país registrou 267 mortes. Desde o início da pandemia, já são 623.412 vítimas. A média de mortes está em alta de 152%. São 307 mortes por dia. Essa média não passava de 300 desde 31 de outubro do ano passado. Vinte e dois estados e o Distrito Federal estão com alta na média de mortes, um estado tem estabilidade e três estão em queda. Números da vacinação Nove estados não divulgaram as informações nesta segunda-feira (24). Em 24 horas, 216 mil pessoas receberam a primeira dose; quase 141 mil tomaram a segunda ou a dose única; e mais de 1 milhão, a dose de reforço. O total do dia passou de 1,4 milhão vacinados. Desde o começo da campanha de vacinação, mais de 163 milhões de brasileiros tomaram a primeira dose, o que dá 75,96% da população; mais de 148 milhões estão com a vacinação completa, ou 69,09%; e quase 41 milhões tomaram a dose de reforço: 19,03%. Outras informações em g1.com.br/coronavirus.

Categoria: G1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 23:06:22 hr

Médicos e pesquisadores criticam nota do Ministério da Saúde que desestimula vacinação

Reação foi acertada na reunião do comitê de especialistas que monitora a Covid, formada por todas as sociedades médicas do país. Médicos e pesquisadores criticam nota do Ministério da Saúde que desestimula vacinação A nota do Ministério da Saúde que defende o uso da cloroquina e condena a vacina motivou reações de protesto da Associação Médica Brasileira (AMB) e de milhares de médicos e pesquisadores. Uma das reações foi acertada numa reunião do comitê de especialistas que monitora a Covid, formada por todas as sociedades médicas do país. A indignação é com a nota técnica do Ministério da Saúde assinada pelo secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde, Hélio Angotti, que considera eficaz a hidroxicloroquina, que a ciência já descartou, e descarta a vacina, que a ciência aprovou. Rede pede ao STF afastamento de secretário do Ministério da Saúde e anulação de nota sobre vacinas Brasil volta a bater recorde na média móvel de casos conhecidos de Covid em 24 horas, com 150 mil; média de mortes cresce mais uma vez Vacinação contra a Covid: mais de 148,4 milhões estão totalmente imunizados; 2,22% das crianças entre 5 e 11 anos tomaram a 1ª dose Os especialistas afirmam que a argumentação do ministério ?não tem a menor sustentação científica? e é composta exclusivamente por ?pontuações falaciosas?, que ?ao contrário do que diz a portaria, não há mais debate ou dúvidas científicas sobre a não eficácia? dos remédios do chamado kit Covid. E que o ministério, em uma ?tabela desastrosa, tenta induzir erroneamente o entendimento que hidroxicloroquina/cloroquina (hcq/cqc) tem comprovação de eficácia e é segura, e incrivelmente desacredita as vacinas contra Covid, rotulando como sem efetividade e com dúvidas sobre a segurança?. Sendo assim, o comitê ressalta que a decisão do ministério de ignorar o aconselhamento técnico da Conitec ?parece ser gesto arbitrário e unilateral, que constitui grave afronta ao enfrentamento assertivo da pandemia Covid no Brasil?. E pede que o ministro da Saúde anule a portaria. Em outra frente, a Associação Médica Brasileira está colhendo assinaturas de pesquisadores e profissionais de saúde com o mesmo objetivo: defender a vacina contra Covid e derrubar as diretrizes do ministério que afrontam a ciência. Já são mais de 70 mil assinaturas. O texto destaca que os profissionais de saúde estão ?preocupados com o fato de que as rédeas do ministério da saúde estejam sob a posse da ideologia, da desinformação e, principalmente, da ignorância. O comportamento do Ministério da Saúde transgride não somente os princípios da boa ciência, mas avança a passos largos para consolidar a prática sistemática de destruição de todo um sistema de saúde?. O presidente da AMB, César Eduardo Fernandes, disse que espera que todas essas iniciativas resultem num recuo do ministro Marcelo Queiroga. ?A grandeza do exercício da função de um ministro de Estado da Saúde é entender que a saúde da população, a prevenção de eventos que prejudiquem a saúde são muito importantes. Então, não há porquê permitir que, baseado na autonomia prescritiva, os médicos possam ainda fazer uso do kit Covid quando já se sabe que ele não é eficaz e pode trazer danos à saúde?, destaca César Eduardo Fernandes. O partido Rede levou a questão ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a anulação da nota e afastamento cautelar do secretário Hélio Angotti. ?No momento oportuno, diante de um recurso, analisando quais são os temas ali trazidos à baia pelos recorrentes, o ministro da Saúde mais uma vez tomará a decisão conveniente, oportuna e de acordo com a política que o Ministério da Saúde tem feito, que é baseada na transparência, na publicidade, na impessoalidade e na legalidade?, declarou Queiroga. As atitudes de Queiroga à frente do ministério foram duramente criticadas pela AMB. A Associação divulgou um boletim em que acusa Queiroga de agir ?à margem das mais simples normas de conduta e preceitos éticos esperados para a função?. O boletim lista uma série de exemplos que os médicos consideram, como a defesa do kit Covid, a tentativa de paralisar a imunização de jovens, entre outros. E termina dizendo que causa ?indignação e temor a omissão, as idas e vindas do ministro, assim como as posições que contradizem as boas evidências científicas, expondo a saúde e a vida dos brasileiros?. A Associação Médica Brasileira publicou a nota com críticas ao comportamento do ministro Queiroga, por volta das 17h (hora de Brasília) desta segunda-feira (24), e o ministério não se manifestou. Mesmo assim, o Jornal Nacional procurou o ministério até o início da edição desta segunda para que se pronunciasse, e a assessoria pediu mais tempo para responder.

Categoria: G1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 22:52:24 hr

Morre no Rio, aos 88 anos, a atriz Theresa Amayo

A atriz, que lutava contra um câncer, foi uma das primeiras estrelas de telenovelas no Brasil. Morreu no Rio, aos 88 anos, a atriz Theresa Amayo, que lutava contra um câncer Morreu nesta segunda-feira (24) no Rio, aos 88 anos, de câncer, a atriz Theresa Amayo. Ela nasceu em Belém e foi uma das primeiras estrelas de telenovelas no Brasil, na extinta TV Tupi e na Globo. Atuou em sucessos como ?Sangue e Areia?, de 1967, e a primeira versão de ?Pecado Capital?, oito anos depois. Theresa também esteve no elenco de ?Senhora do Destino?, ?Verdades Secretas? e ?A Regra do Jogo?. Theresa Amayo deixa dois filhos e uma neta.

Categoria: G1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 22:51:33 hr

Rosa Weber envia à PGR pedido de investigação de Bolsonaro e Queiroga

Ação aponta que presidente e ministro da Saúde atuaram para dificultar a imunização de crianças, o que configura crime de prevaricação. PGR vai avaliar se há elementos para abrir investigação. Rosa Weber envia à PGR pedido de investigação de Bolsonaro e Queiroga A ministra do STF Rosa Weber enviou para a análise da Procuradoria-Geral da República um pedido de investigação contra o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, por suposta prevaricação. É quando um funcionário público deixa de atuar para satisfazer interesse próprio. Na notícia-crime, a deputada Tabata Amaral, do PSB, o senador Alessandro Vieira, do Cidadania, e o secretário de Educação do Rio de Janeiro, Renan Ferreirinha, argumentam que o presidente se manifestou contra a distribuição de imunizantes para crianças e ameaçou divulgar nomes dos diretores da Anvisa. E que Queiroga defendeu a necessidade de uma consulta pública, apesar da autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. A PGR não tem prazo para se manifestar sobre possíveis elementos para abrir uma apuração.

Categoria: G1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 22:44:03 hr

Morre, aos 73 anos, o estilista francês Thierry Mugler

Famoso pelos desfiles performáticos, Mugler vestiu artistas como David Bowie, Diana Ross e Beyoncé Morreu ontem, aos 73 anos, o estilista francês Thierry Mugler Morreu no domingo (23), aos 73 anos, o estilista francês Thierry Mugler. Famoso pelos desfiles performáticos e pelo design teatral das peças que criou, Mugler vestiu artistas como David Bowie, Diana Ross e Beyoncé. A causa da morte não foi divulgada.

Categoria: G1
Data: Terça feira, 25 de Janeiro de 2022, 22:42:24 hr
CLOVIS CONTABILIDADE LTDA - ME
Fone: 53 3225-4752
Contabilidade
LAUREANO LUIS DE ALMEIDA BITTENCOURT - M...
Fone: 53 3227-4906
Comércio
MARISTELA SEVERINO
Fone: 47 3365-2419
Varejista
COMERCIAL DE BEBIDAS PRADO LTDA
Fone: 054-32931171
Bebidas
FRANCISCO CHAVES MACHADO - ME
Fone: 51 3673-1658
Manutenção
BAR SNACK LTDA
Fone: 21 2521-3837
Lanchonete
ESTILO FAZENDA RESTAURANTE E PIZZARIA EI...
Fone: 47 3525-4789
Restaurante
ALEX ALVES DE SOUZA
Fone: 51 3742-1017
Varejista
HOME | BUSCAR | ANUNCIE | NOTÍCIAS | SOBRE NÓS | CONTATO
TAGS MAIS BUSCADAS: Moraes | autofalante | Fernanda | HORTTI FRUTTI | HORTTI FRUTTI | DET | FRUTERIA COMERCIO | 1258 | rei do bacalhau | SUPERMERCADO PIENEGONDA | RADIUS | w a | cilene | express car | A G DA COSTA | Fernanda da Rosa | novo horizonte | Fernanda da Rosa | D E T | D E T | agropecuaria cavalca mt | J B C S | bar e restaurante beira rio | CASA DE CARNES E FRUTEIRA CARNIEL |
Este site obteve 1685475 acessos de 03/06/2021  -   Página gerada em 2.26 segundo(s)

© 2022   -Portal Public Online -  Todos os Direitos Reservados.     Designer & Programador: Rede System - Internet Solution